CAMPTODACTILIA


CAMPTODACTILIA

O que é a camptodactilia e qual a sua origem?

É o nome dado à contratura em flexão da IFP  (articulação inter-falangica próximal) de um dedo. O mais afetado é o 5.º dedo; a contratura pode variar entre os 20° e os 100° de flexão. Algumas vezes, para além do 5.º dedo, o 4.º também é atingido, mas sempre de uma forma mais ténue.
Tem varias etiologias (origens):
– desequilíbrio entre os tendões flexores e os tendões extensores.
– contratura da placa volar.
– deficiência do tendão extensor em F2.
– músculo lumbrical aberrante, com dificuldade na excursão dos tendões flexores.
– a retração cutânea volar, embora não seja causa, é consequência da deformidade e torna-se um fator de manutenção da deformidade.

Ver fig. 1 e fig. 2 imagens de camptodactilia

Fig.1: Camptodactilia, forma moderada
Fig. 2: forma avançada; nesta imagem podemos confirmar a retração cutânea marcada


Como se trata a camptodactilia?

A camptodactilia deverá ser tratada com mobilização, talas nocturnas, e por vezes diurnas.
O tratamento deverá iniciar em fases precoces da vida.

Em crianças pequenas o único tratamento possível é a mobilização; a fisioterapia pode ajudar.
A partir dos 7-8 anos deveremos usar uma tala dinâmica extensora.

A deformidade tem solução cirúrgica?


A cirurgia poderá estar indicada nos casos mais graves, a partir dos 8-9 anos; após a operação é obrigatório um período de fisioterapia.
A cirurgia melhora o arco de mobilidade mas raramente a criança atinge uma amplitude articular normal. Nos casos de deformidade ligeira ou moderada a cirurgia não está indicada pois o benefício não compensa os riscos cirúrgicos.